Histerectomia

O que é?

A histerectomia é um procedimento cirúrgico que tem como finalidade a remoção do útero e, em alguns casos, das trompas adjacentes e dos ovários. Geralmente, é realizada por um ginecologista e indicada em casos de problemas sérios na região pélvica, como miomas uterinos, endometriose grave, câncer de colo do útero e outros. Nas situações de câncer, a intervenção cirúrgica pode ter caráter remediativo ou preventivo.

Tipos

Existem dois tipos de cirurgias de histerectomia, e a decisão por uma delas varia de acordo com cada caso. Ela pode ser supracervical, também chamada de subtotal, que consiste na retirada da parte de cima do útero; ou total que, como o próprio nome diz, é a retirada de todo o útero, inclusive do colo do útero. Quando a retirada dos ovários também se faz necessária, a cirurgia é denominada pan-histerectomia.

Como é feita?

Via de regra uma histerectomia é feita sob efeito de uma anestesia raquidiana. Em alguns casos pode ser que seja feita a opção pela anestesia geral.

É possível que um esvaziamento da bexiga seja necessário, algo que é feito com a inserção de um cateter pela uretra. A limpeza e esterilização da área de incisão é feita e uma dosagem intravenosa de antibióticos é ministrada para prevenir infecções futuras.

A histerectomia pode ser feita de quatro maneiras diferentes:

Histerectomia abdominal

Procedimento tradicional em que é feita uma incisão na região abdominal, pela qual o útero da paciente é retirado. A cada 10 histerectomias realizadas no mundo, 6 são feitas com essa abordagem cirúrgica.

Histerectomia vaginal

Quando o útero não está com alterações consideráveis no tamanho e existe a possibilidade, a retirada do órgão nesse tipo de procedimento é feita pela vagina. Somente é possível realizá-la caso o órgão não esteja com alterações consideráveis de tamanho.

Em geral uma histerectomia vaginal leva menos tempo para ser realizada, sua recuperação é mais rápida e também costuma ser menos onerosa.